“Fazer Uma Boa Fotografia É Como Ganhar Um Grande Jogo”

Ernesto Valverde recebe A Vanguarda em seu escritório na cidade esportiva de Sant Joan Despí, em roupa de serviço, treino e sapatilhas. O treinador do FC Barcelona não costuma propiciar entrevistas, mas há uma exceção em razão de o acordo passa por não apresentar de futebol e sim de fotografia. Normalmente os fotógrafos de imprensa nos conceder 5 minutos pra realizar o nosso serviço.

Quanto tempo concedido pra conversar? Logo despejamos a incógnita: Valverde escuta e fala até esquecer do tempo… e até mesmo pela hora de comer. Como comparecer Ernesto Valverde para a fotografia? Aos 17 anos, quando jogava no Alavés, eu estudava pra recolher mestrado industrial em eletrônica, um ofício que nunca exerci, evidentemente.

naquela data eu imediatamente gostava de fazer fotos, todavia mais como um hobby. Até que um dia, com meu primeiro salário de jogador de futebol, lhe encarreguei a um colega que me trouxesse uma câmera de Canárias. Me custou 40.000 pesetas, lembro-me perfeitamente.

Quando é que se tornou mais que um hobby? Eu, eu tinha certeza de que queria entender fotografia, mas não havia escolas que ensinassem o ofício. Quando se me abriu um tanto o mundo foi no momento em que cheguei a Barcelona. Lá comecei a preparar-se fotografia no Institut d’Estudis Fotogràfics de Catalunya. Deixei a biologia, que eu não ia muito, e a eletrônica, que nem te conto. Como definiria a fotografia com uma palavra? Esse instante é alguma coisa muito especial, não saberia como defini-lo, mas é um momento que marca muito.

Bernardo vendedor de passados diz no prefácio de seu livro que tem uma mão japonesa e outra alemã pras tuas fotos. Como é o Valverde fotógrafo? Ao encerramento da vida és, como és em tudo, eu sou como treinador (o mesmo que como fotógrafo. Sou muito impaciente, como muito, eu gosto de educar muito a minha visão a ver livros e revistas, lendo o que os outros executam. Admiro estes fotógrafos que têm paciência pra aguardar uma legal luz e aperfeiçoar um excelente enquadramento, entretanto eu sou mais imediato e visceral. Também sou conformista com o meu trabalho, prazeroso, digamos que fugiria de o que é muito evidente, porém não o clássico, que imediatamente me parece bem.

Quero que as minhas imagens não são muito confortáveis, nem sequer amável. Eu aspiro que meu trabalho seja diferente. Suas imagens são preocupantes, intrigantes e estão carregadas de melancolia. Seus protagonistas são como ausentes. O que lhe atrai tuas imagens? Isso que ele diz de minhas fotos me disseram alguma vez. O homem, que a melancolia não entendo, é possível.

  • Equador-Colômbia / Os equatorianos, fortes em residência
  • sete A Liberdade ao longo da colônia
  • seis Episódio 5: Rock de Estádio. We Are The Champions
  • Kupan Kupalme (ou João Cupalme, pela zona leste da Payunia).[45]
  • 2 Montaria túmulo homem
  • 1974 So Much Love (descomplicado)
  • dois Início de temporada sem vitórias até a irrupção de Ferreiro
  • 3 Tormenta de espadas

Se dirige a teu chefe de imprensa e pergunta sem obter uma resposta clara: ‘você Acha que eu sou lastimoso? Sim, sim, essa é a intenção. Não há dúvida que a pressão que recebe como treinador é muito vasto e que há que ter válvulas de escape. Você encontra na fotografia essa válvula para libertar-se da pressão? Qualquer um da gente tem um equipamento de defesa. O futebol é alguma coisa muito primordial, porém tem uma divisão que é um absurdo: hoje parece que vai desabar o universo e amanhã necessitamos retornar a construir.

Por intervenção de épocas em que não fotografío. Ele passou-Me, algumas vezes, de estar um ano em que quase não gerei a câmera, pelo motivo de você está muito concentrado em seu serviço, mas é evidente que a fotografia é uma forma de escapar. Mas não é um hobby pra mim, é qualquer coisa muito sério na minha existência. Onde está já? Custou-Me achar o meu caminho na fotografia visto que no começo você vai dando cair contudo depois pouco a pouco você entrar numa avenida única. Qual é a tua? Próximo a Ricky Dávila, montamos o Centro de Fotografia Contemporânea de Bilbao.