Sánchez Insiste Em Pedir A Abstenção De PP E Cidadãos Enquanto Negocia Com Unidas Podemos

Do diálogo com a Catalunha ao silêncio. Após as eleições do dia 28-A, o partido socialista apontou que Podemos era o seu “parceiro preferencial”. Desde Ferraz viam nas linhas de criação, a morada a um colega após Paulo Igrejas apoiasse a Pedro Sánchez pela moção de censura e os meses que esteve à frente do Governo.

Uma estratégia que pareceu ser uma constante ao longo das negociações postelectorales, ainda que ambos os partidos-feira, em público tua “ruptura total”. Apesar das reclamações cruzados, PSOE e Unidas Podemos retomaram as discussões e continuaram negociando até o começo da investidura. Em contraste, e durante o tempo que Sánchez tem que dos votos Unidas Podemos para ser investido, o líder do PSOE tem insistido no decorrer do dia de hoje em solicitar a abstenção tal a PP como Cidadãos. Segundo informa a Europa Press, a estratégia de Sánchez foi mergulhado na desorganização os dirigentes Podemos que manifestaram a tua estranheza aos discursos que pronunciou o socialista no Congresso.

  1. Três Programa olímpico
  2. 7 Nacionalismo canário
  3. Jul.2009 | 23:Trinta e três
  4. o É para todo o sempre a tua marcha
  5. 127 Dupla nomeação
  6. Promover o desenvolvimento industrial, agrícola e de mineração
  7. Pronúncia: [samniásin].[4]
  8. Pista ciclista Antonio Leyva

“Você está demonstrando que só está negociando com nós, em razão de não lhe resta outra. Chama a atenção que, ao mesmo tempo em que negocia com nós, peça a abstenção ao PP e Cidadãos”, expressou Pablo Iglesias em seu primeiro turno de expressão.

“Quando pede a abstenção ao PP e Cs uma pessoa poderá sonhar que o que você deseja é ser presidente a qualquer custo”, decidiu. No decorrer da tua intervenção, Sánchez foi pedido a Paulo Casado que “centre ao PP” e lhe foi oferecido aparecer a acordos em troca de sua abstenção.

“Se você não quer uma repetição eleitoral, se não quer que o Governo de Portugal depende das forças independentistas, tem que se abster, tem que ceder”, foi espetado Sánchez Pablo Casado. O socialista chegou a recorrer à briga por liderar o centro-direita português. “Se você quer liderar a oposição em recinto do senhor Rivera vai ter que ter um Governo”, acrescentou. A mesma estratégia foi seguido Pedro Sanchez com Albert Rivera.

“Não peço que vote a favor de minha investidura, todavia no mínimo abstengase pra não bloquear a legislatura pelo bem de Portugal. O importante é que a legislatura dê a caminhar e que haja Governo. Portanto, senhor Rivera, peço-lhe que para o bem de Portugal vocês se abstenham próxima quinta-feira”, alegou Sánchez. O pedido de abstenção Cidadãos chegou depois que Albert Rivera tenha afirmado que o seu partido votará “não”.